A espera - o que passou

O que você quer de Deus?

A espera - o que você quer de Deus?Quantos de nós temos a coragem necessária para levantar os olhos e pedir a Deus o que realmente queremos Dele? Será que você gritaria numa multidão “Filho de Davi tem compaixão de mim!”, ou teria vergonha, pois ao seu redor existem pessoas que lhe conhecem, pessoas que não tem a mesma fé, que não acreditam que Ele possa realizar o milagre em sua vida? Você gritaria ou se calaria?

Marcos nos conta a história de um homem que aos olhos dos outros despertava pena, pois era cego e sobrevivia de esmolas, mas que ao ouvir que Cristo estava próximo, teve a coragem necessária para chamá-lo:

Mc 10:46 Depois chegaram a Jericó. E, ao sair ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, estava sentado junto do caminho um mendigo cego, Bartimeu filho de Timeu.
Mc 10:47 Este, quando ouviu que era Jesus, o nazareno, começou a clamar, dizendo: Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim!
Mc 10:48 E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava ainda mais: Filho de Davi, tem compaixão de mim.
Mc 10:49 Parou, pois, Jesus e disse: Chamai-o. E chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, ele te chama.
Mc 10:50 Nisto, lançando de si a sua capa, de um salto se levantou e foi ter com Jesus.
Mc 10:51 Perguntou-lhe o cego: Que queres que te faça? Respondeu-lhe o cego: Mestre, que eu veja.

Ao encontra-se diante de Cristo, o que você responderia? (Você não é Deus, não está vendo que sou cego!!?), ou faria como Bartimeu?

As vezes Cristo aguarda que após chamá-lo tenhamos a coragem e a humildade de dizer aquilo que é óbvio, mas que necessitamos confessar a Ele.

Então hoje chame por Ele e tenha a coragem de dizer:

-Senhor quero ver!

-Senhor quero me libertar dos vícios!

-Senhor estou desempregado, quero uma nova colocação profissional!

Não deixe que os amigos, a sociedade, aqueles que o cercam, sejam mais fortes e silenciem o seu grito!

Chame por ELE hoje:

Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim!

(“Artigo publicado originalmente em 31/10/2011”)