ordenado morrerem

A espera - ordenado morreremE, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,
Hebreus 9:27

Algumas vezes encontramos em nossa caminhada, irmãos cristãos, se assim podemos chama-los que creem em vidas passadas, em reencarnação, em horóscopos etc. Muitas vezes estamos tão despreparados para isso, que não sabemos nem o que responder a eles. Como cristão tenho que informa-los que estão trilhando um atalho para a ruina de suas almas, sendo enganados pelo “ladrão primeiro”, caindo no que Cristo alertou de falsos ensinamentos, falsos mestres, falsos messias. Estes mesmos irmão acreditam que é possível conciliar as práticas do mundo com nossa fé cristã, esquecendo-se que há apenas vida eterna em Cristo Jesus. Como nem sempre temos as respostas exatas para dá a estes irmão recorri ao livro “Manual de defesa da fé – apologética cristã – 100 respostas para questões cruciais” 4ª edição-2008 de Perter Kreeft e Ronald K. Tacelli, abaixo seguem as dez refutações da reencarnação (pg. 405 a 407):

“O Cristianismo rejeita a crença na reencarnação por dez razoes:

 

  1. Contradiz a Bíblia, que afirma que o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disto enfrentar o juízo (Hb 9.27).
  2. Contradiz a tradição cristã de todas as igrejas.
  3. Reduz a encarnação à mera aparência, a crucificação a um acaso, e Cristo a um entre os muitos filósofos ou avatares. Também confundiria o que Cristo fez com o que as criaturas fazem: confundiria encarnação com a reencarnação.
  4. Implica a ideia de Deus haver cometido um engano, concebendo a nossa alma para viver em um corpo, e de sermos realmente espíritos puros aprisionados num corpo.
  5. A psicologia e o senso comum a contradizem, pois a reencarnação, ao conceber a ideia de almas aprisionadas em corpos estranhos, nega a unidade psicossomática natural.
  6. Força uma visão muito ruim do corpo como uma prisão, uma punição.
  7. Geralmente diz que a culpa do pecado é do corpo e do poder do corpo de confundir e obscurecer a mente. Isso é transferir a responsabilidade da alma para o corpo, e da vontade para a mente, confundindo entre o pecado e a ignorância.
  8. As ideias de que reencarnaríamos a fim de aprender lições que deixamos de aprender em uma vida terrena passada, mas que não nos lembraríamos das encarnações passadas, são contrárias tanto ao senso comum quanto à psicologia educacional básica. Não podemos aprender algo se não existir continuidade de memória. Podemos aprender com os nossos erros somente se nos lembrarmos deles.
  9. A suposta evidência da reencarnação seriam as recordações de “vidas passadas” que surgiriam sob hipnose. Contudo, essas “regressões a vidas passadas” podem ser explicadas pela indução mental do hipnotizador, ou pior, pela influência de demônios. E a possibilidade real desta influencia demoníaca deve servir de alerta para não nos expormos à hipnose, tentando “regressões a vidas passadas”.
  10. A reencarnação não dá conta de si mesma. Por que nossa alma estaria aprisionada a um corpo? Seria apenas pelo mal que possivelmente cometemos em reencarnações passadas? Mas por que as reencarnações anteriores teriam sido necessárias? Pela mesma razão. Mas o princípio do processo que aprisionou nossa alma a um corpo deveria ter antecedido a série de reencarnações… Como poderíamos ter praticado o mal num estado primeiro de espiritualidade perfeita, pura e celestial? Como a reencarnação nos guiaria de volta para este estado original, depois que todos os nossos anseios corporais terminassem?”